вторник, апреля 03, 2007

Um Acidente de Carro (III/IV)

O pai de Marcelo foi para o quarto do filho, e começou a arrumar as coisas dele. Não para que fossem jogadas fora, ou doadas, ou guardadas em algum recanto mais obscuro da casa. Ele começou a arrumar as coisas para que, quando Marcelo viesse, encontrasse seu quarto organizado. As roupas no armário, os tênis nas gavetas debaixo da cama, os CDs perto das caixas de som, os livros na estante. Prendeu novamente no quadro de cortiça algumas fotos que haviam caído atrás da mesa de estudos. Em uma delas, uma foto sua ao lado do filho e da ex-esposa. A fotografia havia sido feita alguns anos atrás, na formatura do segundo grau de Marcelo. Sua expressão era pensativa, sonhadora. Ele não olhava para a câmera, mas sim para algo além e atrás dela.

Ele acordou com os gritos de crianças brincando no gramado da casa ao lado. Levantou-se da cama do filho, onde havia adormecido, e abriu a janela. Duas crianças, um menino e uma menina, brincavam. Suas corridas, abraços e fugas subseqüentes assemelhavam-se a um balé sem música.

Ele fechou a janela, mas um fugaz raio de sol iluminou algo que atraiu sua atenção. Atrás da cama do filho, na parede oposta ao quadro de cortiça, uma foto jazia escondida: Marina na formatura do segundo grau.